Meu Sobrinho Amante

Meu sobrinho amante.

Tenho 39 anos, sou casada, tenho um filho com 11 anos, me chamo Lygia, moro em Brasília. Sou uma morena com um super corpo. Bunda grande, bem delineada, quadril, cinturinha, peitos grande bem feitos e duros. Não tenho rosto bonito, mas meu cabelo cacheado e meu corpo compensam o rosto. Casei cheia de sonhos como a maioria da mulheres. Em pouco tempo meu marido se mostrou diferente. Supre muito bem a casa com tudo, é o típico homem tradicionalista, conservador. Muito trabalhador, organizado, sério. Mas, infelizmente não é educado, sensível, gentil. Com passar dos anos o relacionamento ficou insuportável. Há algum tempo fui a Brasília a passeio em casa de parentes e soube de um concurso. Fiz a inscrição, as provas e passei. Veio o drama. Meu marido, efetivo no serviço público em Minas Gerais com um bom salário e eu com a possibilidade de ganhar cinco vezes mais em Brasília. Decidimos e eu tomei posse. Compramos um apartamento, outro carro e me mudei com meu filho. Começou um processo de eu ir ele vir a cada quinze dias. Salvamos o casamento porque nos vemos a cada quinze ou vinte dias. É claro que não é o ideal.

Tenho um sobrinho, com vinte e oito anos que mora em Brasília há anos. Ele havia terminado um namoro-noivado de sete anos. Como moramos perto, passamos a ter mais contatos, nos falarmos via internet, telefone e acabamos por nos aproximarmos. Ás vezes vinha ao meu apartamento trazendo vinhos, cervejas, e eu sempre preparava algum prato. Bebíamos, comíamos, conversávamos… Esses encontros foram nos aproximando e tornando-nos íntimos e confidentes. Havia cumplicidade, amizade, carinho, companhia. Certo dia ele veio numa sexta-feira e trouxe vinhos muito bons. Como sempre, preparei comidas. Tomamos vinho, nesse dia, muito vinho. Comemos e ficamos conversando na varanda. Meu filho foi dormir e continuamos tomando vinhos. Começaram a surgir risos, piadinhas, brincadeiras e a conversa foi tomando outros rumos. O embalo do álcool, os instintos, a as confidências foram nos conduzindo para um desejo louco. Ficamos excitados. A certa altura eu estava debruçada na mureta da varanda. Senti que ele estava mito próximo. Me roçando mesmo. Arrepiei toda, senti um tremor intenso no corpo todo. Suspirei. Pensei: será… Ao erguer o corpo senti a proximidade. Ele estrategicamente posicionou para que eu o encostasse. Senti um volume enorme me roçando a bunda. Fiquei paralisada. E agora…virei lentamente, olhei-o nos olhos. Estávamos excitadíssimos um com o outro. Suspirei e abracei-o. Beijei-o intensamente. Começamos a nos esfregar. Loucura. Minha bucetinha estava enlouquecida, molhadíssima, latejante. Passei a mão e comecei a alisar o pinto sobre a calça. Fomos nos enlaçando, abraçando, beijando loucamente. Depois de dez meses, finalmente estávamos ali, agarrados, excitados, trêmulos, enlouquecidos, desejosos. Ficamos assim um longo tempo, num beijo alucinado, num garra louco. Mordi sua orelha e cochichei no seu ouvido: ?te quero?… Fomos devagar para o quarto. Conferi se meu filho estava dormindo. Tranquei a porta do quarto e iniciamos uma viagem louca, sensual, deliciosa. Beijos loucos, apaixonados, molhados, esfregamos, amassamos, abraçamos e fomos nos despindo lentamente. E depois de muita esfregação eu já louca de tesão fui conduzindo aquele pinto enorme para minha bucetinha quente, úmida, molhada, palpitante, desejosa. Até ali eu só conhecia um homem, meu marido, um homem que infelizmente não sabia conduzir o prazer de uma mulher, um homem que não compreende o universo feminino, um homem que não me esperava para ter prazer.

A cabeçona não passava direito, fomos ajeitando, esfregando, rebolando e finalmente eu estava entubada, entalada por aquela tora, aquele homem lindo, forte, musculoso, extremamente carinhoso… fomos transando, tirando, recolocando, esfregando, suspirando e gemendo baixinho. Ficamos assim por horas até que veio um arrepio, uma dormência na minha xoxotinha que latejava enlouquecida, meu cuzinho começou a ? piscar? e veio o gozo mais sensacional que já tive na minha vida… Relaxei um pouco e pensei que estava acabado… nada, ele gentilmente virou-me e começou a lamber meu cuzinho, mordiscar minha bunda. Nunca, imaginei que um homem faria aquilo. Fiquei sem jeito, acanhada mas aos poucos fui me deixando levar e aproveitando o momento. Surpresa, vi-o buscar no bolso da calça um gel. Esfregou lentamente circulando o cuzinho, enfiava devagar o dedo indicador, tirava enfiava. Assustada quis interromper, ele gentilmente foi deitando sobre mim, me esfregando, mordendo minha nuca, beijando a orelha e lentamente iniciou a penetração no cuzinho nunca antes tocado. Loucura. Dor, calafrio, medo, excitação, ansiedade, vontade. Colocou a mão direita por baixo e começou a esfregar meu grelo ainda dormente e excitado, diria que até dolorido. A mistura de tesão, excitação, medo e curiosidade me fez rebolar e buscar a penetração. Não sabia se era dor, prazer, tesão, loucura, era prazer, prazer louco, intenso… huummmmmm fui ao outro mundo, a outra dimensão, aos poucos fui me soltando e permitindo ao meu cuzinho aquele prazer, aquela dor gostosa de sentir, aquele momento nunca experimentado e logo veio outro orgasmo intenso, forte, delicioso. Fui seguida por ele que gozou feito um louco, diria um cavalo, um garanhão reprodutor. Viajei, desapareci, fiquei em estado letárgico, semi desmaiada. Não conseguia pensar, me localizar… Até hoje, dois anos depois tenho o marido, o provedor, o chefe, o pai de meu filho, o casamento à distância- me parece o ideal para todos nós- e meu adorável sobrinho-amante com seu charme, seu pintão delicioso, seu tesão insaciável, seus carinhos, seu envolvimento, seus encantamentos. Difícil é me comportar quando estamos com amigos e familiares e penso que minha irmã jamais me perdoaria se soubesse ou se descobrisse. Agora ele está namorando e pelo visto a namorada está sugando as energias e deixando pouco para mim, mas enquanto ele quiser serei sua eterna amante.

Contos relacionados

Sexo Na Oficina

Sexo na oficina Todo final de tarde ele passava bem devagar em frente à oficina onde eu trabalhava. Eu estava sempre de macacão e com alguma sujeira de graxa ou óleo, mas mesmo assim eu percebia claramente seu olhar vasculhando os cantos da...

Massagem na irmã gostosa

Nem sei como começar este conto! Tudo começou quando eu fiquei desempregado, morava em um cidadezinha no interior de São Paulo, quando a empresa em que eu trabalhava veio a fechar as portas depois da crise financeira de 1998 que assolou o país. Resolvi...

Dama Na Rua Puta Na Cama

Meu nome é Daniel tenho 25 anos e tenho uma vizinha que sempre vai para igreja com seus pais aos domingos, nome dela é Letícia e ela tem 19 anos, é branca de cabelo longo castanhos e com um corpo delicioso.....Um certo dia eu estava na porta da minha casa...

Titio Tarado

Quando minha mãe separou de meu pai fomos morar com minha tia, eu tinha dezoito anos, e sempre fui a casa da minha tia então me dava muito bem com todos. Meu tio era muito legal comigo,um belo dia minha tia teve que ir trabalhar a noite e minha mãe estava...

Transando com o Mecânico (conheci na internet)

Bom dia, meus anjos! Vou falar um pouquinho sobre mim, meus fetiches, sobre o que costumo fazer...se gostarem deixem seu comentário, que vou postando mais, tenho história pra um livro rs. Lá embaixo começo o conto de verdade, ta mores? ##### OI, eu sou a...

A Professora De Educação física

Tudo começou em 2015. No começo do ano eu acabava de entrar em uma nova escola. Era um colégio pequeno, por isso você era muito conhecido la. Cheguei na quadra para a apresentação, la estava a Professora de Português, a de Matemática  (que era um...


Online porn video at mobile phone


conto erotico romanticoconto erotico enfermeiracontos comendo a irmacontos insestocontos masturbaçãocontos eroticos com professorconto erotico negraconto incestoencoxando no metrocontos eróticos lésbicaconto erótico lésbicascontos erotico cunhadaporno incesto brasilcontos eroticos brasileiroscontos feticheconto eróticoscontos eroicoscontos sroticosconto incesto realcontos pornosmeus fetiches contos eroticosconto erótico lésbicacontos eróticos de incestoincestos contos eroticoscontos eroticos massagemcontos eroticos animadoscontos eroticos verdadeiroconto erotico siriricacontos eroticos pai e filhasconto erotico sadomasoquismoconto erótico femininocontos heroticocontos eroticos brasileiroscontos eroticos de casadascontos eroticos sem viruscontos de sexosconto erotico no carrocontos eróticos namoradoscontos eróticos teenscontos eroticos textoncontos eroticos sadocontos eroticos lesbicassuruba contocontos eroticos sadomasoquistaincesto contos eróticosesposa safada contoscontos eroticos tio e sobrinhaconto eróticacontos eróticos cunhadaconto erotico lésbicocontos eroticos negrasrelatos eróticos reaiscontos eróticos esposa safadacasadas no cio contos eroticoscontos eroticos vizinha novinhacontos eróticos de namoradosconto exibicionismocontos sexuais reaissiririca no onibuscontos eroticos de putascontoseroticos incestocontos eroticos de ninfetascontos porno de incestocontos reais de incestoscontos eroticos abusocontos sobre incestocontos heroticos reaiscontos de troca de casaiscontos eróticos lésbicacontos pornôconto erotico metrocontos de sexo lesbicocontos incestcontos de putinhasconto pornosencochadasincesto conto eroticoconto erotico trabalhocontos eroticos de casadascontos exibicionistasincestos contoscontos eroticos pai e filhascontos eroticos porncontos eroticos casa dos contosporno incesto contosconto de sacanagemcontos eroticos acervocontos de masturbaçãocontos fetichecontos eroticos irmazinha