A Vadia Do Papai

Meus pais ainda não estavam preparados para me receber, entre idas e vindas de um relacionamento conturbado eu acabei perdendo a minha mãe num parto prematuro. Não sei precisar quando tudo isso começou, mas foi mais ou menos assim.

Eu era a gatinha do papai e ele sempre cuidou de mim me dava banho, comida e me colocava para dormir na sua cama ate que eu cresci e assumi as tarefas domesticas, eu cuidava da casa enquanto ele ia trabalhar e quando retornava cansado a noite, era eu quem o esperava com as suas roupas e chinelos para o banho, com uma comida saborosa e quentinha e o arrastava do sofá na madrugada lhe colocando na cama para dormir. Ate que um dia a ebulição dos meus hormônios coincidiu com aquela vontade matinal do papai ir ao banheiro, nos estávamos dormindo juntos de conchinha, eu ainda estava sonolenta quando comecei sem perceber a rebolar a minha bunda no cacete duro do papai. Ele acordou assustado e segurou firme na minha cintura tentando conter os meus movimentos afastando-se do meu corpo, saiu apressadamente de casa, antes do horário para trabalhar me deixando o dia inteiro excitada e com o sentimento de culpa. Aguardei ansiosa pela sua volta, a ansiedade virou aflição com a sua demora e a aflição se tornou em preocupação com o avançar das horas, ele chegou tarde da noite embriagado e eu tive muito trabalho para tirar a sua roupa suja, lhe dar um bom banho e depois lhe arrastar para cama. Exausta eu acabei lhe pondo para dormir nu e durante a noite eu fiquei admirando o seu corpo ate repousar a minha cabeça sobre o seu peito e adormecer abraçada junto a ele, durante o sono nos rolamos na cama e voltamos à posição inicial do dia anterior, só que desta vez como o papai estava nu o seu cacete duro acabou invadindo as minhas coxas e ficou esfregando na minha boceta deixando a minha calcinha toda molhadinha. Papai despertou do sono ainda sobre o efeito da ressaca me dando beijinhos na nuca, enquanto enchia uma das suas mãos apertando o meu peito me deixando muito feliz por sussurrar no meu ouvido que eu era o amor da sua vida e decepcionada porque terminou a frase me chamando de Ligia, que era o nome da minha mãe. Papai rolou para cima das minhas costas e terminou de levantar a minha camisola, carinhosamente papai foi me beijando as costas enquanto ia me acariciando e descendo as suas mãos na direção da minha calcinha, quando elas chegaram na minha calcinha papai começou a beijar a minha bunda, coxas e foi puxando a minha calcinha pela lateral ate me deixar nua e quando papai começou a beijar as minhas pernas fazendo o caminho de volta eu me arrepiei toda quando senti o seu cacete duro roçando nas minha coxas, mas ao chegar no meio das minhas costas papai tornou a descer e desta vez deslizando a sua língua entre a minha bunda, depois afastou as minhas pernas se enfiando entre elas e começou a lamber a minha boceta de cabo a rabo de uma só vez ate me fazer gozar. Eu empinava a minha bunda forçando a minha boceta contra a língua do papai e podia sentir a minha boceta esguichando cada vez em que a sua língua dividia os meus lábios ameaçando entrar seja pela frente ou por trás. E então eu me realizei como mulher perdendo a minha virgindade para o homem que eu amava quando senti o cacete duro do papai invadindo a minha boceta, no inicio foi um leve desconforto quando papai começou a me fuder, eu mordia os meus lábios e arranhava o colchão tentando me acostumar com algo tão grande e grosso invadindo a minha boceta, mas depois foi só prazer e papai me faz gozar novamente no seu cacete. Eu estava completamente entregue e vulnerável com papai me dominando pelas costas, com os seus dedos entrelaçados aos meus, papai prendia as minhas mãos e se movimentava rápido fudendo a minha boceta em buscando do seu prazer, enquanto eu continuava a gozar a cada estocada, eu podia ouvir a sua respiração ofegante e sentir o desejo do papai em querer gozar dentro de mim, só não podia imaginar que papai havia escolhido o meu cuzinho para guardar o seu sêmen, papai apontou o seu cacete e começou a pressionar contra o meu cuzinho e como eu havia feito o favor de deixar o seu cacete todo babado do meu prazer, foi fácil para papai me invadir e parte do seu cacete entrou rápido me rasgando de dor fazendo com que eu geme-se mais alto. Papai parou, se manteve imóvel, mas pressionando o tempo todo o seu cacete contra o meu cuzinho, eu mordia o travesseiro tentando suportar a dor e conforme fui relaxando senti o cacete do papai deslizado gradativamente para dentro do meu cuzinho, vagarosamente ele iniciou um vai e vem, conforme o seu cacete deslizava para dentro e para fora do meu cuzinho, eu fui tornando a ficar molhadinha de prazer e voltei a sentir a minha boceta latejando, não demorou muito para que novamente eu começa-se a gozar com o cacete do papai atolado no meu rabo. Foi uma sensação única sentir o cacete do papai expandindo dentro do meu cuzinho enquanto ele me inundava com o seu sêmen quentinho. Depois que acabou de gozar papai me virou na cama e ficou me olhando sem dizer nada, começou delicadamente a remover os meus cabelos desgrenhados que estavam colados no meu rosto pelo suor e aos poucos os seus olhos foram se arregalando tensos sem querer acreditar no que havia acabado de acontecer, apesar da minha semelhança física e visual com a minha mãe, papai pareceu surpreso quando viu o meu rosto limpo e descobrir que eu não era a Ligia, o grande amor da sua vida. Papai começou a me pedir perdão pelo que ele havia feito e tentava se justificar colocando a culpa na bebida dizendo que só havia percebido a diferença quando eu lhe permiti terminar por trás e como eu ainda estava curtindo toda aquela sensação de prazer, lhe silenciei os lábios com um beijo e a partir desse dia eu passei a lhe servir de todas as maneiras me tornando a vadia do papai.

Contos relacionados

Tamanho não é Documento

Meu sofrimento começou na adolescência, sempre fui gordinho e como não fui favorecido pela anatomia masculina virei alvo de chacotas e piadas quando arrumei a minha primeira namorada no colégio, o comentário se espalhou rápido e não era difícil...

A Amigo Do ônibus

Olá a todos e principalmente a todas, venho aqui relatar meu conto com intuito de provocar e atrair essas coisinhas maravilhosas que são vocês mulheres e homenagear a minha amiga Ângela (Saudades). Sou louco por sexo, adoro o tesão que o sexo casual...

Há Sempre Uma Primeira Vez

Olá leitores, me chamo Isadora e na data deste conto eu tinha 18 anos, tinha 1,71 metros de altura, cabelos castanhos longos, ondulados e naturais, minha pele é bem clara, eu era bem magra, mas com bastantes curvas. Como eu já disse em outros contos...

Dando Gostoso Pro Instrutor Da Autoescola

Essa e uma historia verídica!!!Estava fazendo autoescola quando meu instrutor pediu demissão. Foi aí que eu conheci o Leandro, instrutor que substituiu o antigo. Leandro é um mulato com quase dois metros de altura, corpo atlético, cabeça raspada,...

Meu Primeiro Orgasmo Com Um Homem

Meu primeiro orgasmo com um homem Meu nome é Edna, tenho 33 anos casada, duas filhas. Engravidei cedo e me casei muito nova e sempre fiquei na dependência de meu marido. Infelizmente ele é um homem complicado, mal educado, grosso, sem nenhuma atitude...

Delícia Negra

Delícia Negra Eu já contei neste site sobre a primeira vez em que comi um cuzinho bem gostoso, foi quando pulei a cerca e transei com a Vanessa (nome ficticio) da zona leste de São Paulo, no conto "Antes anal a tarde do que nunca". Agora vou...



contos eróticos com paicontos eróticos com cavalomenage contoscontos eroticos apimentadoscontos eróticos de cornoscontos eroticos com virgensconto erotico curtoconto erotico de cunhadacontos eroticos esposa safadacontos de encoxadacasa dos contos erotivoscontos eroticos menage femininocontos sexcontos eroticos carnavalconto pornorcontos de pai comendo filhacontos erotic oscontos eroticos com primosfamilia incestuosa contosconto incesto realcontos eroticos por mulheresconto erotico dentistacontos eroticos alunacontos erotico sogracontos eroticos incestoscontos de sexo eroticocontos sexualcontos de insestosconto erotico trabalhocontos eroticos lesbiscoscontos de incesto entre irmãosconto erotico curtocontos eróticos de surubacontos eroticos safadasdepoimentos eroticoscontos de inversãocontos eróticos incestocasa dos contoseróticoscontos eroticos esposa safadacontos de sacanagenscontos eroticos bizarroscontos eróticos com enteadaconto sadoputas jacareicontos eroticos de esposascontos erotcofetiches eroticoscontos eroticos de cornocontos eroticos casa dos contoscontos erotico cunhadacontos eróticos papaicontos eroticos on lineconto erotico em familiacontos eroticos carnavalmeus fetiches contoscontos eroticos pai comendo filhacontos eroticos tiasencoxadas no busaoconto erótico cornocontos eroticos masturbaçaocontos sobre incestocontos eroticos padrescontos eroticos sadomasoquismocontos analcontos eróticos pesadoscontos eroticos com vizinhasincesto conto eroticoencochada no metroontos erotioscontos eróticos curtoscontos eroticos de padrecontos de ninfetascontos de incestosconto erotico menageincestos contosforum eroticocontos eróticos sadocontos esposa safadacontos de casadacontos eróticos lésbicocontos de swingmelhor site de contos eroticosconto siriricacontos eróticos românticoconto eroticos gratiscontos eróticos perdendo a virgindadecontos eroticos empregadacontos eróticos mae e filhocontos eroticos on lineconto erótico realhistoria real de incestocontos eroticacontos eroticos de exibicionismocontos eroticos com a irmasite contos eroticoscontos eróticos cornoconto erotico com a cunhadacontos de sexo erotico